sábado, 31 de janeiro de 2009

Para dizer o que pensas dessa vida!



Algum tempo se passou desde a última vez que me sentei em frente ao teclado, como osimples inteuito de poetizar. Muitos ventos passaram, muita terra caiu, muita chuva choveu, muito fogo queimou. E eu...


Continuo a poetizar.


Afinal, de que serve a minha vida se não para isso?


Poeta da vida...


Seria essa a minha definição?


Minha poesia não se faz verdade entre o encontro de um papel e uma caneta. Nem tão pouco no descompasso esquizofrÊnico de meus dois indicadores a bater nesses ou naqueles símbolos logo em frente. Minha poesia consiste em admirar o poema recitado em coisas simples e belas. Casas são poesias, jardins são poesias... Velas, praias, Montes, sorrisos, pessoas. Encontros.


Mais um ano se faz verdade. Mais um ano!


Ano que entra faceiro e me deixa faceiro também, promessas e energias que me fazem crer que este ano há de ser de realizações... Muito pra lá de dinheiro no bolso ou saúde pra dar;


E vender.




Ve se lá saúde é uma coisa vendável! Estranho pensar que alguém a venderia. Existem coisas que jamais seriam vendidas como bala no buteco da esquina.


Uma mãe que vê a vida da filha findando em um leito de hospital por falta de um rim, cobraria algo em espécie para dar-lhe o seu?


Engraçado pensar nisso...


A minha sempre disse que me DARIA a vida de necessário!


Há diversas maneiras de se doar vida,


vida se doa;


por atos.


Pense na vida e da vida !


Deixe que pensem da vida!


Viva!

Um comentário:

Leek Steffens* disse...

e o que se pensa...
pensamos alem dos nossos olhares,
mas será que enxergamos alem deles,
eis uma bela duvida,
o que se pensa dessa vida!

muitas coisas, porem pouco se faz,
o pensamento ainda é um um mundinho individual, em cd um de nós,

abraços

leek