quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

De um Grilo de Nariz Vermelho à uma Joana com Asas Ao Vento


Ganhei um desenho!

Acredite de uma Joana! não ela não serve apenas pra vestir aquela casquinha de bolinhas e encantar os teus dias.

Um Joana desenhou pra mim!

Um presente que estará presente no presente, futuro passado;

agora escrevendo estes versos, lembrei de uma música de Devendra Banhart: Insect Eyes.

Insetos...

Joana...

E eu , Talvez apenas um Grilo Saltitante;

Não precisa nem ser verde, apenas saltitante!

Um grilo feliz, que sai a noite pra cantar.

Um grilo esperto, que espera o dia chegar só pra ouvir o pássaro cantar!


Um grilo de nariz vermelho, diz a autora da obra!

Pra mim a junção de dois universos que resultam no símbolo de liberdade,

Poética.


De um Grilo à uma Joana;

De uma Joana à um Grilo.

Insect Eyes


5 comentários:

Joana Heck disse...

Um desenho, uma música, alguns versos, outros verbos... uma poesia.
Assim vamos dividindo, trocando e espalhando os pólens de ouro. De flor em flor, de palco em palco, de blog em blog!
:)

Potira disse...

Minhas palavras foram todas por água abaixo agora que eu li o que a Jo escreveu...


Lindo, Lindo, Lindo...

Tadeu Marcon disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tadeu Marcon disse...

Me sinto bem por aqui. Tudo tem um cheiro de arte tão singular, tão entusiástico...
Confesso, e não há exagero, que passear nesses ambientes de blogs pessoais, transmite-me uma paz de espirito curiosa.
E pensar que eu te conheci, Grilo de Nariz Vermelho, num domingo de pouca perspectiva. Já naquele dia vi "o mundo dos Narcisistas" de um ângulo artistico teatral, foi perfeito. Foi o impulso final, ou inicial, melhor dizendo, a flecha fumegante que ateou fogo no meu Candeeiro da esperança, do amor pelo artistico. Dizia um pensador que "a arte existe para que não morramos da verdade". Diga-me você Geison.

Saltitando, voando, nadando, cada um por seguir um trecho distindo, mas com uma mensagem plural.

Helena Jungblut disse...

textos lindos!