domingo, 17 de agosto de 2008

Sol

Quando me pego pensando em mim mesmo
descubro coisas que nem eu mesmo imaginava
guardar, dentro de um corpo que parece vazio, de
uma mente que não consegue se enxergar, sem
espelho que reflita a cor do meu pelo em pé...
Pelo menos uma vez queria passar por aí e nada
enxergar, ou passar sem que possam me enxergar,
pra fazer com que meu passar não seja
notado ou reparado, e asim fazer coisas
que a noite em minha cama não venham
me assombrar ou me fazer pensar no
que faço e na éssoa que as vezes passo.
Não com ferro de roupa, mas com corpo e entranhas
de gente que sente e que chora. Que pede
todos os dias um pouquinho de tantas coisas
que realmente sejam reais. Pra me fazer,
mais eu em meu quarto com muitas
sacolas de prazer e sujeira de amigos,que
me dizem coisas que gosto de ouvir. Ouvindo
o acorde daqueles que já se deixaram subir
e sumir. Mas eu... eu continuo aqui
chorando ao som de Led Zeppelin
esperando o sol surgir lá fora....
gente

3 comentários:

dezinha disse...

lindo seu blogger

Tadeu Marcon disse...

sou Leitor!

Dan Porto disse...

Sol, uau, muito bom